SOBRE CAMPANHAS ELEITORAIS

O universo das campanhas eleitorais passou por muitas transformações nos últimos tempos. A literatura político eleitoral relata ao menos 3 períodos marcantes das campanhas em países com Democracia embrionária, como é o caso do Brasil.

 

Num primeiro momento percebemos a importância do Poder. É ele que move e articula com maior destreza e domínio a primeira fase das Democracias. As razões para tal são inúmeras, desde a falta de maturidade democrática de um povo, até a manutenção do status quo.

 

Passo adiante, temos o poderio econômico como grande mão que guia os processos eleitorais. Da simples e famigerada ‘compra de votos’ a largas manobras econômicas para alcance ou manutenção do poder, é o Dinheiro quem dita os caminhos e descaminhos do cenário político eleitoral.

 

Mais recentemente, o poder econômico se aliou a grandes produções e estruturas hollywoodianas a fim de conquistar eleitores e votos. A profissionalização desmedida de campanhas eleitorais deixa o foco ‘administração pública’ e ‘povo’ de lado, para ludibriar os eleitores. O que se fala em propagandas eleitorais não é real, é apenas atrativo.

 

Por obvio, tais fases não são estanques, de modo que o Poder, o Capital, e as grandes produções, ainda ocupam lugar na conquista descompromissada do voto.

 

Contudo, atualmente há um movimento bastante sadio em direção ao compromisso com a ética como um todo, e de comprometimento do povo com a coisa pública.

 

Aliado a isso, a gratuidade e largo alcance das mídias sociais tem papel fundamental nessa quarta etapa ou período das campanhas eleitorais.

 

O compromisso com os gastos, limites legais, a maior fiscalização, bem como a gratuidade de meios mais eficazes de penetração social, tais como as mídias sociais, tornam as campanhas menos custosas.

 

Nesse ponto a profissionalização das campanhas políticas deixa de ter aproximação com o show business para alcançar melhores resultados, otimizando tempo, recursos financeiros e obtendo maior penetração e empatia para com o eleitor.

 

Pense nisso!

4 comentários sobre “SOBRE CAMPANHAS ELEITORAIS

    • Grande Wellington. Obrigado pela participação. Creio realmente que essa via veio pra ficar. Dificilmente serão bloqueadas pois ajudam, em menor ou maior grau, justamente aqueles que fazem as leis.

      Ademais, as literaturas político Eleitorais, especialmente a americana, tratam as novas ferramentas como OM principal meio, e não mais como meio acessório.

      Grande abraço, logo tomamos um café na Capital Paulista!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s